quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

uma vontade de rir ,,,


Eu tento pensar que não passam de pedaços de memórias. Eu tento fingir que é apenas orvalho que cai na minha cara quando eu choro. Eu engano o coração com estes pequenos sonhos que invadem o meu pensamento. Mas, és tu que permaneces! Em mim, nos meus passos e nos meus sonhos. Já não chega somente o teu olhar, e eu acho que estou prestes a morrer ... Mas eu já estou morta, neste passado que não me larga e que teima em ficar bem presente. Sinto-me confusa, triste e há uma frustração na minha vida. A frustração de não conseguir amar mais ninguém para além de ti, de não ser autónoma deste amor que não tem sentido nem mar por onde arder. Construis-te este sentimento também, porque não foste capaz de o segurar? Porque é que deixas-te todo este peso comigo? Porque é que foste, assim só por ir e sem vontade de voltar?

Sem comentários: